LGPD - A importância do apoio da alta direção.



O sucesso de um programa de implementação da LGPD em uma organização, antes de tudo precisa contar com o apoio da alta gestão.


Apoiar significa estar junto e estar junto significa olhar para o mesmo horizonte.

Um assunto só merece atenção de quem lhe atribui valor, e só se confere valor àquilo que se vê como necessário.


O que é necessário tem valor e se tem valor existe interesse em alcançar, simples assim. Tal lógica se aplica a tudo na vida.

O interesse move as pessoas e não estamos aqui nos referindo diretamente ao interesse econômico, este é uma das espécies do gênero.


Quando a alta gestão de uma organização conhece a Lei Geral de Proteção de Dados, da mesma forma que conhece cada área de seu negócio, é muito improvável que não conclua que os dados que mantém em sua base informatizada ou em seu acervo físico, ou aqueles que compartilha com terceiros, mereça elevada atenção, considerando seu alto valor para a continuidade e para a expansão de seu negócio.


Uma organização, de qualquer porte ou segmento, não poderia se sustentar sem realizar o tratamento de dados de pessoas (clientes, fornecedores, parceiros e funcionários).


Hoje em dia um trabalhador autônomo ou informal, que realiza uma atividade de venda, revenda, entrega ou qualquer outra semelhante, poderá estar com frequência realizando o tratamento de dados pessoais, que remete a inúmeras ações possíveis, tais como: coletar, compartilhar, acessar, arquivar, entre outras que a própria LGPD talvez não chegue a exaurir no seu inciso X, art. 5º.


Registrar, por exemplo, no celular ou no caderninho o nome, endereço e/ou telefone do cliente, para realizar uma cobrança, uma entrega ou apenas para avisá-lo que seu produto chegou, pode envolver ações de tratamento de dados pessoais e é aí que mora o perigo, quando não se se tem uma visão clara dos dados pessoais que transitam por todo o sistema corporativo, que envolve atividades internas e externas.


Quando a alta gestão não se apressa em conhecer a LGPD mais atentamente, mais comumente ocorrem retrabalhos, resistências e/ou investimentos inadequados, e isso tudo pode custar caro.


Considerando que “o mar não está nem para sardinha, que dirá pra peixe” o melhor a fazer é tomar decisões pensadas, arrojadas e, sobretudo, sinceras. Sim, porque não é aconselhável desenvolver um programa de implementação “faz de conta”. O tempo revelará a efetividade das ações postas em prática, sobretudo no que diz respeito ao atendimento dos titulares de dados no exercício de seus direitos, previstos no art. 18 da lei, que, se não atendidos, ensejarão sanções relevantes que vale a pena conhecer, lendo o art. 52 da LGPD.


A implementação da Lei Geral de Proteção de Dados não será o objetivo de um projeto, porque este tem início, meio e fim, mas sim de um programa, que deve ser permanentemente monitorado e aperfeiçoado. Portanto, é absolutamente necessário que a equipe tenha o respaldo da alta gestão.


Sem o apoio da alta gestão, o que se aprende em cursos e treinamentos se perde, não encontra ancoragem prática, o que pode deixar a equipe bastante desmotivada e isto seria “o pior dos mundos”.


As boas práticas, que levarão a organização à patamares mais seguros do ponto de vista jurídico, e à elevação do nível de confiança da organização no mercado, depende de todos e de cada um para acontecer, no entanto, a verticalização desse compromisso, ou seja, o envolvimento de cima para baixo será na verdade, o alicerce que erigirá uma construção sólida e bonita de ver, que servirá de exemplo, que terá o reconhecimento em forma de lucro e de novas oportunidades de crescimento.


Já se foi o tempo de uma alta gestão distante da construção feita tijolo a tijolo, no ombro a ombro. É demasiadamente arriscado acreditar que é viável colocar 2 ou 3 colaboradores em um treinamento para que sejam multiplicadores e estes, ao mesmo tempo, envolverem-se com a implementação do programa da LGPD na organização, considerando-se todas as suas fases (mobilização, mapeamento, diagnostico, “gap analysis”, elaboração do plano e governança), que demandarão para a maioria das organizações um trabalho hercúleo, e, ainda, tocarem em paralelo as atividades inerentes às suas respectivas funções, com a mesma qualidade e eficiência. Acredite, vai dar zebra! É aquela história do “assobiar a chupar cana”.


Existem várias formas de se promover o engajamento da alta liderança. Uma palavra do CEO na abertura do programa, um "review" do programa de implementação durante as reuniões do comitê executivo, a participação mais a miúde em avaliações que envolvam pontos críticos e prováveis mudanças substanciais à organização.


Considerando o que foi dito acima, nenhuma citação me parece tão oportuna quanto a do ex-presidente dos EUA, Jonh F. Kenedy, considerado uma das grandes personalidades do século XXI, Liderança e aprendizagem são indispensáveis um ao outro”.

Assine nossa

newsletter!

Que saber mais sobre nossos serviços ?
Entre em contato.

Nome *

Email *

Assunto *

Mensagem

Contato

Av. Paulista 807

São Paulo, SP - 01311-000

​Tel: (11) 99999-6681

Email: ​contato@tothbe.com.br

Social

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Cinza ícone do YouTube
  • WhatsApp

© 2020 TothBe. Design by Raissa Liebmann.